Blog WireMaze

Mobilidade 1 847 450
2021/06/22

Mobilidade – aproximar e envolver o cidadão com novas formas de comunicação e participação

No passado dia 11 de maio, a WireAcademy juntou 4 oradores especializados numa tarde de aprendizagens e partilha de ideias subordinadas ao tema “Mobilidade”, no 3º workshop nacional “Autarquias do Futuro”.

A dar o seu excelente contributo, estiverem presentes: Filipa Bonita da Associação de Municípios da Região de Setúbal; Simão Santana, da Câmara Municipal de Aveiro; Alexandre Aleluia da Proteção Civil de Setúbal e José Castro da autarquia de Vila do Conde.

A mobilidade foi apresentada pelos oradores em várias vertentes desde:

  • A criação de agenda digital baseado na sinergia entre vários municípios;
  • Estratégias para garantir a acessibilidade e mobilidade dos cidadãos às cidades;
  • A utilidade das aplicações móveis para dar uma resposta rápida ao cidadão em caso de emergência;
  • Os desafios na criação de uma aplicação autárquica em conjunto com a desmaterialização dos processos.

O principal foco é aproximar os cidadãos e/ou turistas das autarquias, onde quer que se encontrem.

A Associação de Municípios da Região de Setúbal (AMRS), explicou-nos como a divulgação e a partilha de informação constituem pontos essenciais na criação de uma agenda digital.

Filipa Bonita realçou que por ser uma região em que as pessoas facilmente se deslocam entre os municípios fazia todo o sentido comunicar numa única plataforma. Disponível para cidadãos e turistas onde agregasse todos os eventos e iniciativas culturais dos respetivos associados.

A agenda cultural regional “Acontece” é apresentada em 2 suportes: site e aplicação móvel.

Segundo a Filipa, esta ferramenta estando ao dispor dos cidadãos ganhou especial relevo com os tempos atuais de pandemia que atravessamos porque “permitiu chegar mais facilmente ao público, sendo que a cultura vive precisamente disso”.

Por sua vez, Simão Santana, assessor de comunicação do Presidente da autarquia de Aveiro, apresentou a mobilidade do ponto de vista dos transportes e do estacionamento e a ponte com a tecnologia e o objetivo da melhoria da qualidade de vida da população.

A mobilidade para a autarquia insere-se no âmbito do projeto “Aveiro Tech City”.

A ligação entre os vários meios de transporte, ao dispor do cidadão, é fundamental para proporcionar uma melhor experiência aos residentes e a quem visita a autarquia. Utilizando a tecnologia com soluções inovadoras permite disponibilizar informação crucial para a tomada de decisão para quem visita ou vive na cidade.

Na vertente ambiental foi abordada a preocupação presente e crescente da autarquia e a forma como a tecnologia contribui para o desenvolvimento sustentável da mesma.

Alexandre Aleluia, representante da Proteção Civil Municipal de Setúbal, apresentou a app “Setúbal SOS” que está disponível para download online desde 2016.

Sendo Setúbal uma região muito procurada por turistas, sobretudo para turismo de natureza e por desportistas que procuram a cidade para atividades radicais ao ar livre como canoagem, btt, escalada, o desenvolvimento de uma aplicação móvel com ligação direta à proteção civil em caso de emergência é uma mais-valia para situações de busca, resgate e salvamento.

Como está disponível “24x7”, a qualquer momento, o cidadão pode despoletar uma ação rápida por parte da proteção civil em caso de emergência.

Segundo Alexandre Aleluia, a aplicação foi importante na distinção das crescentes fake news que possam surgir, pois, permite dotar a autarquia de canais de comunicação oficial onde a informação é rapidamente apresentada de fonte fidedigna.

A aplicação vai ser atualizada em breve e terá um upgrade 100% focado ao nível da experiência do utilizador e de comunicação de feedback.

O quarto orador da sessão ficou a cargo de José Castro, responsável de informática da autarquia de Vila do Conde.

José Castro partilhou a experiência de Vila do Conde na área da mobilidade com uma apresentação intitulada “Smart Vila do Conde: o papel das aplicações móveis”, enquadrando as 2 aplicações móveis para o Município e Turismo.

Há uma abordagem pela questão do atendimento e dos serviços online com o alargamento do “e-gov” aos serviços públicos municipais. Para tal, procedeu-se à desmaterialização de processos da autarquia e, também ao nível das apps, a integração entre o ERP para submissão de documentos e consulta do respetivo estado.

Em suma, Vila do Conde apostou na abertura de novos canais de comunicação incentivando à sua utilização para diversificar os canais de entrada de pedidos.

Através destas medidas, a autarquia aumentou a eficiência processual associada à redução da carga operacional nas tarefas de digitalização e pesquisa de processos.

Antes de entrar na parte de “Q&A” (questions and answers) aos oradores, foi colocada a todos os participantes uma questão: “Quantos dos participantes têm instalado a app do município / freguesia”?

O resultado foi esclarecedor: mais de 50% das pessoas presentes tinham instalado a app do seu município ou da sua freguesia, o que demonstra de forma clara, que a aposta deve ser crescente nestas tecnologias e em novas formas de comunicação.

Seguiu-se o espaço de interação entre os oradores e participantes. Nesta sessão ficou claro e bem patente, segundo Simão Santana: “as respostas não estão na política central de um governo, mas sim nas respostas que as autarquias e as regiões dão aos cidadãos, porque são os principais interessados”.

O workshop continuou com mais sessões sempre com forte adesão dos participantes e intervenções bem elucidativas da realidade de cada autarquia. O 3.º Autarquias do Futuro é o Fórum Nacional das Autarquias Portuguesas.