Blog WireMaze

Cidadao 1 847 450
2022/02/14

É um cidadão responsável? Faça o teste.

O que é ser cidadão? Como exercer esse papel de maneira responsável?

Questões como estas são comuns em certos estágios das nossas vidas. Por muitas vezes, as respostas para estas perguntas não estão claras na nossa mente.

Agora imagine na cabeça do cidadão comum, nomeadamente os que têm pouca literacia em participação cívica.

Contudo, estamos aqui para mudar isto!

Num mundo utópico, um cidadão é um indivíduo que pertence a um estado livre e igualitário, que goza dos seus direitos civis e políticos, e sujeito a todas as obrigações inerentes a essa condição.

Os conceitos de cidadão, cidadania e democracia andam sempre de mãos dadas, porque no fundo um conceito liga-se ao outro, e no fim, um não existe sem o outro.

Pode parecer demasiado complexo, mas não é! (Aliás, é muito mais do que isso, mas já lá vamos…)

Separamos aqui 3 pedras basilares que sustentam o “ser um bom cidadão”. São atitudes que nos tornam cidadãos responsáveis e ativos na comunidade.

Ao saber como ser um, podemos inspirar aqueles que nos rodeiam a serem também.

 

Ser cidadão é questionar

Mais do que indagar aos quatro ventos, é preciso saber fazer as perguntas certas, no local certo no momento certo.

Saber o porquê das coisas, muitas vezes é um ótimo caminho a seguir. Ter a consciência do que é certo e errado, do que pode ser o melhor para a comunidade em que nos inserimos e saber como fazer mais pela mesma, pode ser o mote de partida.

Afinal, uma pergunta bem colocada faz-nos refletir imenso. Questionar leva-nos a estar mais informados e, consequentemente, mais certos para tomar as atitudes que devem ser tomadas.

Nas palavras do presidente da Câmara Municipal de Valongo, José Manuel Ribeiro, no livro “Manual Breve de Cidadania Local”: “A democracia numa comunidade pouco informada e pouco esclarecida pode ficar refém das tiranias das maiorias bem como das tiranias das minorias”.

1.ª pergunta do teste: que canais a sua instituição tem disponíveis para o cidadão questionar?

 

Ser cidadão é saber ouvir

Ser um bom ouvinte pode não ser um pré-requisito, mas faz toda a diferença. Estar atento à comunidade, às pessoas e às suas necessidades é algo simples de se fazer.

Ao captar estas informações, o segundo passo é impor uma posição, tanto dos seus pares quanto dos governantes.

Contudo, cabe também a nós disseminar uma boa comunicação, tendo em conta tudo o que ouvimos ao nosso redor.

Além disso, devemos compreender que nem sempre as coisas são como gostaríamos que elas fossem. Muitas vezes, as justificações que ouvimos para as ações tomadas não nos agradam, mas, no fundo, elas têm uma razão para ser assim.

Assim sendo, comunicar começa por ouvir e, só depois, expressar a nossa opinião, tendo em conta que os demais também têm uma.

2.ª pergunta do teste: como comunica ao cidadão a informação necessária? É regular e consistente? Faz chegar a informação à palma da mão do cidadão?

 

Ser cidadão é participar

Estar presente, de alguma forma, por menor que seja, já é um ato de cidadania.

Há inúmeras maneira de se fazer isto. A participação pública pode, por exemplo, vir através de:

  • Participação em orçamentos participativos no município
  • Comunicação de ocorrências
  • Sugestões de melhoria governamental

Há quem diga que não confia na administração local ou central, ou não percebe o seu funcionamento, e por isso deixa de ser um cidadão ativo na sua comunidade. Errado!

É preciso um esforço de ambas as partes, tanto da autarquia ou instituição, como da própria comunidade, em desmistificar estes sentimentos. Como?

Investindo em ações que possam devolver aos cidadãos o sentimento de pertença, e principalmente, de confiança.

Do ponto de vista da administração pública local ou central, o cidadão é o patrão, o parceiro e o colaborador. Visto que, as instituições públicas trabalham de, com e para o cidadão.

3.ª pergunta do teste: que processos de participação tem ativos? Divulga-os? Estão integrados numa framework de participação?

 

A WireMaze orgulha-se do seu papel na promoção de cidadania, auxiliando a administração pública a estar mais próxima da sua comunidade. Juntos, somos bons cidadãos!