Blog WireMaze

Henrique macedo 457119 unsplash 1 847 450
20 Novembro 2018

4 estratégias para uma gestão interna eficaz

O ambiente interno da sua autarquia influencia o sucesso de todos os processos. Os colaboradores estão alinhados com os objetivos? Assumem o compromisso perante o desafio? Sentem-se inspirados pelo trabalho a realizar?

Sugerimos 4 estratégias de gestão interna a aplicar para fortalecer a sua equipa e, consequentemente, fortalecer toda a comunidade.

Inspirados nos desportos de equipa compilamos algumas estratégias e interligamos com os princípios de gestão.

Imagine que é um treinador de uma equipa de futebol. Para além das estratégias e táticas de jogo, desempenha um papel essencial na formação e crescimento dos seus jogadores o que influencia diretamente o sucesso da equipa.

 

1. Recrutamento

Recrutar team-players não é uma tarefa fácil. Pelo que reunimos alguns aspetos mais importantes que caracterizam uma pessoa que trabalha bem em equipa:

  • Disponibilidade – o jogador está disposto a ajudar os colegas, contribui com ideias e soluções proporcionando um ambiente de colaboração saudável.
  • Compromisso – dedicação máxima no alcance dos objetivos. Inspira confiança na equipa.
  • Proatividade – percebe antecipadamente as necessidades e dificuldades da equipa/clube e participa nas atividades que ajudam a concretizar as metas.
  • Flexibilidade – capacidade de se adaptar às novas realidades, novas pessoas e situações.
  • Confiança e Acessibilidade – os elementos da equipa sabem que podem contar uns com os outros, o que torna a comunicação e o desempenho mais eficazes.
  • Paixão – mais que motivação, o jogador/profissional acredita verdadeiramente nos seus projetos, nos objetivos da equipa e na missão do clube/empresa.
  • Competências – é essencial para um bom desempenho da equipa, a vontade de aprender tem um papel fundamental também.
  • Criatividade – pessoas criativas estão constantemente atentas ao mundo que as rodeia, são curiosas sobre os mais diversos temas e contribuem para uma evolução fora da caixa.
  • Saber ouvir – sejam opiniões, sugestões, ideias ou melhorias, um team-player respeita e sabe ouvir os seus colegas/superiores e utilizar essa informação para melhorar a sua performance.

Conscientes da dificuldade de recrutamento das autarquias, lembre-se que este processo pode ser interno (entre divisões). Caso seja externo, podemos ajudar com o wmRH, que facilita a recolha online de candidaturas e o processo interno de seleção.

 

2. Treino

A equipa é formada durante os treinos e jogos, é necessário explicar claramente o objetivo e o porquê do treino para que todos estejam focados no mesmo.

Posse de bola através do jogo do passe entre vários setores do campo, desde defesas, médios, avançados e até ao guarda-redes. O que queremos dizer é que independentemente das divisões da sua autarquia, vocês são uma só equipa a trabalhar para o mesmo objetivo.

Conhecer bem os seus jogadores permite saber as suas necessidades e estimular os seus pontos-fortes. Profissionais que se sentem produtivos com as atividades que realizam no dia a dia darão o seu máximo.

Para tal desenvolvemos wmIntra, a Intranet específica para autarquias onde a comunicação, a partilha de informação e o acesso às aplicações internas são reunidos num ambiente de trabalho comum. Com o ERP integrado permite consultar requisições internas, documentos, processos, POCAL, RHV, etc.

Comunicação interna eficiente fortalece a equipa e a comunidade.

Saiba mais aqui

 

3.  A união faz a força

O treinador é o elo de ligação entre todos os membros envolventes, bem como entre todos os processos relacionados. Através do wmIntra é possível gerir identidade e perfis de segurança, criar equipas no âmbito da hierarquia existente ou ad hoc. Cada membro recebe notificações que alertam para nova informação ou ações pendentes, desta forma os colaboradores estarão informados sobre as novidades.

 

4.  Motivação – encorajar atitudes e iniciativas

O jogador que contribui para a vitória deve ser compensado, valorizado e reconhecido. A recompensa pode ser monetária, ou intangível, baseada em interesses pessoais específicos, um dia de férias por uma tarefa bem-sucedida, flexibilidade no trabalho, possibilidade de frequentar o ginásio local ou até bilhetes para o teatro, por exemplo.

Em Valongo iniciaram em 2017 um processo de Orçamento Participativo Interno, designado “Eu conto”. 41 colaboradores contribuíram com 60 ideias diferentes e 541 votaram. O projeto Rir é MESMO o melhor remédio  já está em fase de implementação e o índice motivacional dos colaboradores aumentou drasticamente.

Independentemente dos benefícios, um ambiente de trabalho estimulante onde o trabalho árduo é reconhecido e recompensado possui um impacto positivo na motivação dos “jogadores”.

Vai ficar sentado no banco a ver enquanto a sua equipa joga? Ou vai fazer parte?