Blog WireMaze

Dsc 7976 767  1 847 450
27 Abril 2018

Os 8 pontos chave para um OP de sucesso!

A democracia direta tem apresentado, ao longo dos últimos anos, uma tendência de crescimento a nível mundial.


Os cidadãos querem participar cada vez mais, mas sentem-se afastados dos métodos tradicionais de participação. Ter a palavra a cada 4 anos é curto. Apenas ter influência em termos genéricos é desapontante.


Não se fomenta a criação de um sentimento de comunidade. Não se eliminam as dúvidas dos cidadãos face à legitimidade do voto. Não se dinamiza a cidadania participativa.


O Orçamento Participativo é a solução para responder a estes desafios, uma vez que dá liberdade aos cidadãos para contribuir com ideias, discutir projetos e escolher, por votação, o destino de uma verba do orçamento da autarquia. Mais do que isso, promove a construção de confiança mútua entre município e munícipe.


Apesar de não existirem combinações secretas que definem o orçamento participativo perfeito, fruto da diversidade de contextos das várias regiões, existem boas práticas que ajudam a construir um projeto capaz de tornar a sociedade mais justa e transparente.


Assim sendo, reunimos os 8 passos que deve seguir para envolver os seus cidadãos e dinamizar a sua autarquia:

1. Seja claro e transparente

Conduza o processo de forma clara e cumpra a totalidade a que se propõe.Os seus cidadãos valorizam palavras fortes, puras e vibrantes enquadradas num discurso curto e inspirador. 

2. Defina os seus objetivos e trabalhe nesse sentido

Nem todos os processos têm o mesmo objetivo. Quer uma deliberação aprofundada? Quer ideias? Quer envolver os cidadãos? Quer dotar os cidadãos de conhecimento sobre o processo de decisão? Lembre-se que colhe o que semear.

3. Otimize os canais que usa para comunicar

Use todos os canais que domina para comunicar, mas adapte a mensagem ao público alvo Não espere milagres das redes sociais, o melhor canal é o presencial. Aumente as probabilidades de sucesso, mas mantenha um fio comum entre canais.

4. Ouça. É uma conversa, não um monólogo

Deve sempre comunicar menos do que o que ouve. Idealmente, 20% do tempo a falar e 80% a ouvir, mesmo que dividam o tempo, os munícipes ficam com a perceção que fala demasiado. Para além disso, quanto mais fala, mais hipóteses tem de dizer algo que não quer.

5. Promova workshops de criação de ideias 

Apesar da maior parte dos processos de OP apenas receber ideias, ajudar os cidadãos a construir os seus projetos é um passo de gigante rumo a um aumento da qualidade do processo.

6. Uma pessoa, uma proposta

 Existem pessoas com zero ideias e algumas com milhares delas. No entanto, as últimas tendem a perder o foco e não executar o plano.
A mobilização durante a fase de recolha e voto, esta restrição é o ideal. Claro que o número de propostas pode ser adaptado consoante o tamanho do OP.

7.Envolva as comunidades locais

Em vez de procurar só o cidadão individual, tente envolver comunidades locais (desportivas, sociais, culturais) para assegurar que grupos maiores de pessoas se irão envolver e dinamizar o processo de OP.

8. Peça Feedback sobre a votação 

Agradeça o tempo despendido por votarem no processo de modo a perceber pontos fracos ou pequenos ajustes. Sempre integrado no processo!
Assim, reconhece a contribuição e ganha uma ponte para comunicar com os participantes no futuro

Como gostamos de adicionar valor, acrescentamos um ponto extra!

9. Anuncie os vencedores e informe sobre a execução  

Informe os participantes dos vencedores, mostrando que o processo tem um objectivo final e que contribuíram para melhorar a comunidade! Deste modo, os cidadãos irão reconhecer a sua gratidão promovendo uma relação de confiança e imagem de sucesso.