Blog WireMaze

A 1 847 450
10 Abril 2018

WireAcademy organiza workshop “Impacto do RGPD no seu OP”

No passado dia 15 de Março, a WireAcademy organizou o seu 4º workshop, desta feita com o tema “Impacto do Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) no seu Orçamento Participativo (OP)”.

Tivemos casa cheia na nossa sede, no centro empresarial da Lionesa, fruto dos mais de 55 colaboradores e eleitos autárquicos em representação de mais de 20 autarquias de todo o país. O espírito positivo e de aprendizagem foi claramente visível através do debate gerado pelas metodologias de grupo definidas pelo orador, o CSO da WireMaze e eGovernment Evangelist, César Silva.

Porquê o RGPD?

Por imposição da Comissão Europeia, o novo RGPD entra em vigor no próximo dia 25 de Maio e trata-se de uma das maiores alterações na forma de tratamento de dados pessoais que já existiu. É um dos temas do momento e face à sua transversalidade em termos de àrea de negócio, faz com que todos estejamos envolvidos nesta mudança.

Tendo em conta que o incumprimento do RGPD pode resultar em multas pesadas para as autarquias, consideramos fundamental fazer parte da solução e, por isso, abrimos este painel de esclarecimento que permitiu clarificar o impacto deste regulamento,  as formas como os processos se devem adaptar e as medidas que estamos a tomar no nosso software para que este responda às novas exigências legais.

Porquê o OP?

Os processos de Orçamento Participativo, graças a sua interação multi-nível com os participantes e troca de dados pessoais como verificação de identidade e mecanismo anti-fraude, têm um impacto significativo.

Mais ainda, se considerarmos que estes se realizam anualmente e que as autarquias estão em fase de previsão, planeamento e preparação, é fulcral alinharem estes processos com o novo regulamento.

Consideramos que esta iniciativa foi um sucesso demonstrativo do valor acrescentado e acompanhamento que pretendemos oferecer a todos os nossos clientes como também uma garantia que este tipo de iniciativas da WireAcademy são representativas do rumo que pretendemos tomar.

Posto isto, decidimos falar com alguns dos participantes no workshop para perceber quais são as principais vantagens deste tipo de eventos e quais os tópicos que gostariam de ver abordados num próximo evento.

 

“Acredita que iniciativas como esta são importantes na construção de uma sociedade melhor? Quais as principais vantagens?”

Sérgio Gonçalves, Câmara Municipal de Guimarães: ”São, sem dúvida. Estas iniciativas de networking e de partilha de experiências permitem-nos aferir o caminho da participação cívica ativa.

As ferramentas de participação estão disponíveis e ao alcance de todos. Cabe a nós, que temos de as implementar, fazer chegar junto dos cidadãos todo o potencial que as mesmas têm.

Os problemas, as dificuldades, são sempre ultrapassáveis e as soluções são construídas com a experiência de todos.

Cada realidade tem as suas especificidades sendo extremamente útil que partilhemos a forma de ultrapassar as dificuldades que os processos trazem consigo.

Só aproximando os cidadãos das decisões politicas conseguimos construir sociedades mais participadas e justas.”

Francisco Martins, Câmara Municipal de Odemira: “A possibilidade de se poder reunir um conjunto de Autarquias de todo o país que partilham em comum a vontade de desenvolver políticas de democracia participativa só por si é enriquecedora. A Wiremaze alia a isso o seu know-how e dota-nos de uma capacidade mais aprofundada de desenvolver trabalho em equipa e aprofundar as mais valias das suas ferramentas nas nossas instituições e com as nossas equipas do dia-a-dia.”

Pedro Vala, Câmara Municipal de Porto de Mós: “Este tipo de iniciativas são fundamentais para, em primeiro lugar, garantir uma melhor eficácia das ferramentas que dispomos à volta do Orçamento Participativo e suas implicações. Em segundo lugar, para tirar beneficio da informação privilegiada de quem já tem uma vasta experiência na execução destes processos.”

 

 “Que temas gostaria de ver abordados num próximo workshop da WireAcademy?”

SG: ”Reforçar a temática do RGPD é sem sombra de dúvida uma das maiores necessidades.

Trata-se de uma nova realidade desconhecida por todos e que requer uma atenção muito especial nas próximas sessões. Simultaneamente a continuação da partilha das experiências é sempre um reforço importante para que consigamos construir novos instrumentos de participação e melhorar os que temos diante de nós.”

FM: “Em Odemira queremos tirar um maior partido das nossas ferramentas interativas de comunicação e chegar a cada vez mais pessoas, potenciando todas as valências. Uma formação nesta área associada à comunicação autárquica poderá ser uma das sugestões.

No caso da ferramenta do OP será interessante uma formação que dote os coordenadores de uma maior capacidade de gerir dados e trabalhá-los.”

PV: “Num próximo Workshop era importante conhecer novos projetos existentes pelo país e pelo mundo fora, numa forma de acrescentar mais-valia aos nossos processos municipais.”